Gestão estratégica de ativos através de ITAM

Na busca por uma gestão adequada de recursos, recorremos ao Information Technology Asset Management, o ITAM (Gerenciamento de Ativos de TI).

O que é o ITAM?

O ITAM é um conjunto de práticas e estratégias de gestão dos ativos de Software (SAM) e Hardware (HAM) presentes nas unidades de negócios de uma organização.

O ITAM pode ser definido como uma exposição detalhada de todos os custos e riscos do ciclo de vida dos ativos tecnológicos de uma empresa. Essa descrição de recursos opera como auxiliadora em decisões sobre aquisição, contratos, mudanças, etc.

No método automatizado de ITAM cada dispositivo é encontrado, inventariado e monitorado, para avaliar seu desempenho, controlar sua localização e agendar sua manutenção.

Também podemos encarar o ITAM como sendo uma das disciplinas de governança de TI e uma tática mediadora entre o lado técnico e financeiro de uma empresa. É uma política de refino das práticas de aquisição de ativos, revisão de licenciamentos e estudo de riscos.

Como o ITAM atua?

O ITAM amadurece o processo interno de TI através de uma política mais analítica. Sua implementação é adaptável, podendo ser aplicada em níveis diferentes de maturidade.

Tudo parte da identificação correta dos ativos, elaborando um inventário minucioso, no qual podemos entender quais sistemas são mais ou menos utilizados e quais licenciamentos são realmente necessários.

Com uma visibilidade maior dos sistemas, é possível investir com mais eficiência e reduzir riscos através de decisões baseadas em dados concretos.

A melhoria contínua que o ITAM promove, é resultado de um gerenciamento ágil e apropriado de Informações dinamicamente coletadas, organizadas e analisadas.

Os principais benefícios do ITAM

A preocupação do ITAM é com o gerenciamento de ciclos de vida dos ativos. Com relatórios flexíveis e customizados, se faz rápido o entendimento de quais recursos são importantes ou dispensáveis.

Identificar a usabilidade real para indicar a quantidade necessária, é o que rege o tratamento estratégico dos ativos de HAM e SAM pelo ITAM.

Assim, o operacional ganha mais assertividade em técnicas e custos, podendo configurar melhor sua infraestrutura e garantir segurança ideal para cada ferramenta ou processo.

Você trata o efeito ou a causa?

Antes de corrigir os efeitos dos investimentos equivocados, aquisições dispensáveis e contratos sem bons retornos, é essencial identificar e solucionar a causa de tudo isso.

Uma gestão eficiente percebe as reais carências de um negócio e quais ou quantos recursos são realmente fundamentais.

O ITAM atua dando suporte ao operacional e ajudando o financeiro quando o assunto é equipar o TI. Aqui, o pensamento cultivado é: estudar a usabilidade para só depois identificar as necessidades e determinar os investimentos ideais para cada uma delas.

Por que o ITAM é o melhor caminho para uma gestão de ativos?

O ITAM otimiza o gerenciamento de ativos de TI e permite uma evolução gradual dos processos.

Essa metodologia não trata o banco de dados como uma simples biblioteca ou um mero anexo, esse acervo informativo é continuamente usado para indicar as melhores soluções para cada modernização, reestruturação e investimento.

Usamos o ITAM para uma tomada de decisão convicta e segura, entendendo os riscos, mas equipando nossas operações de sistemas capazes de combater imprevistos, melhorar o processo e otimizar a técnica para obter resultados satisfatórios.

Automatize com ITAM para otimizar soluções

Para o ITAM ser realmente eficaz, sua implementação e execução precisa de um ambiente automatizado, de fácil visualização e bem monitorado.

Através do IT Asset Lifecycle Management (ITAM), da SolarWinds, podemos nos beneficiar dos recursos de Service Desk e monitorar a frequência de uso das licenças ativas. Com essa medida, é possível determinar quando é seguro atualizar o ciclo de vida dos ativos, sem prejudicar a produtividade das operações.

Criar uma visão geral dos ativos e centralizar suas configurações, como é feito pelo ITAM da SolarWinds, é condição otimiza o alinhamento dos sistemas e das estações de trabalho. Essa governança permite um conhecimento aprofundado das tecnologias usadas, de cada processo feito e das políticas de segurança interna.

É impossível proteger a continuidade dos negócios, sem conhecer os sistemas de forma frequente, próxima e monitorada. Entender operações e processos é o primeiro passo para planejar soluções e evoluções com total consciência das prioridades ou necessidades.